Arquivo do autor para Clarisse Braga

  • Notícias
    Carnaval de 2 anos do Cafofo

    Carnaval de 2 anos do Cafofo

    - by Clarisse Braga

    A comemoração dos 2 anos do Cafofo aconteceu em clima de carnaval no dias 21 e 22 de fevereiro

    Fruto do trabalho duro e da construção coletiva, a primeira associação franco-brasileira de Montpellier celebrou suas conquistas em dois dias de festa de carnaval.

    Com uma programação rica em cultura, o evento iniciou o primeiro dia com a exibição do documentário “Aliança dos povos da floresta“, da mídia NINJA, e com conferência “Amazônia: Povos indígenas e desenvolvimento sustentável” com o antropólogo e indigenista Alexandre Goulart.

    Depois, foi a vez do grupo francês Giralua animar a festa com muita música brasileira, seguido do DJ Al3ph que botou fogo na pista com o bom e velho funk carioca.

    No dia seguinte, a tarde foi dedicada às crianças que se divertiram muito no ateliê Sapotek com a construção de instrumentos musicais com material reciclado. A tarde também contou com um baile com marchinhas de carnaval para a criançada.

    Em seguida, os grandes tomaram a pista para se divertirem no carnaval comandado por um jam session com músicos brasileiros e franceses. Foi um momento inesquecível que ficará marcado, para sempre, na história do nosso Cafofo.

    Durante os dois dias de evento, a cozinha foi liderada por Ocamani que nos preparou regalias tradicionais, assim como tapioca, caldinho de feijão e bolos de milho e cenoura. Não teve quem conseguiu resistir às delícias! Também aconteceu a 1ª Mostra Artística Brasileira do Cafofo com as artistas Pamela Araújo, Maria Lu e Débora Carvalho.

    Os dois dias de celebração aconteceram no L’Oranger Café Culturel, localizado no 3 Rue Ernest Michel.

     

  • Edital
    Edital mostra comemorativa de 2 anos do Cafofo

    Edital de seleção de trabalhos

    - by Clarisse Braga
    Edital mostra comemorativa de 2 anos do Cafofo

    Edital mostra comemorativa de 2 anos do Cafofo

    Mostra comemorativa dos 2 anos de Cafofo

    Cafofo – Association Franco-brésilienne de Montpellier propõe uma mostra de trabalhos de artistas brasileiros residentes em Montpellier em seu evento comemorativo de dois anos. Que acontecerá nos dias 21 e 22 de fevereiro de 2020. 

    Para realização da mostra,  criamos um edital com o intuito de convocar artistas gráficos que tenham interesse em expor seus trabalhos. Para que possamos desenvolver um diálogo entre os artistas, a associação e o evento comemorativo, foi definido o tema “ Brasil “. 

    Regulamento 

    Este regulamento tem por objetivo desenvolver diálogos entre artistas gráficos brasileiros residentes em Montpellier e o público do evento de aniversário da associação Cafofo. Além de promover a cultura brasileira e a produção artística. 

    A comissão de seleção formada pelo conselho administrativo da associação Cafofo  analisará as inscrições enviadas (via e-mail, com ficha técnica da obra, ficha de inscrição, imagens e instruções de montagem e pequena biografia do artista 500 caracteres). 

    As obras serão expostas nos dias 21 e 22 de Fevereiro, durante o evento comemorativo de aniversário realizado por Cafofo no 3 rue Ernest Michel, 34000 Montpellier. 

    As obras inscritas e seus respectivos proponentes deverão estar em plena conformidade às exigências descritas neste Edital. 

    Inscrições 

    • Podem inscrever artistas gráficos brasileiros que sejam associados ao Cafofo, da presente data de publicação deste edital até dia 14/02/20 às 17h do horário de Paris. 
    • As propostas deverão ser apresentadas de forma individual e serão aceitos somente trabalhos gráficos capazes de serem expostos através de fixação na parede. 
    • Os proponentes poderão inscrever de 1 a 5 obras (desde que elas ocupem uma área máxima de exposição de 2,5m2). 
    • O conjunto de trabalhos enviados poderá ser integral ou parcialmente aceito para exposição pela comissão de seleção. 
    • As inscrições dos selecionados cujos anexos não contiverem todas as informações e documentos constantes deste item serão automaticamente desclassificadas. 
    • Ao se inscrever no edital, você se responsabilizará pela entrega e retirada de sua(s) obra(s) no local de exposição: Café Associative L’Oranger, localizado no endereço: 3 rue Ernest Michel, 34000 Montpellier. De acordo com o cronograma a ser enviado pela organização. Caso contrário as obras poderão ser descartadas. 
    • A inscrição deverá ser feita apenas pelo envio do dossiê digital para contato@cafofo.fr no seguinte formato: 

    Assunto: [MOSTRA] – NOME ARTISTA 

    Corpo do e-mail: 

    • Ficha técnica – Será impressa na legenda que ficará próxima da obra na exposição; 
    • Ficha de inscrição em anexo (PDF).

    Exemplo do e-mail 

    • O dossiê (digital, padrão A4, em PDF) deve apresentar, na ordem proposta, os seguintes documentos: 
    1. Ficha de inscrição preenchida (no final deste arquivo); 
    2. Ficha técnica;
    3. Instruções para a montagem no espaço (modo de fixação, necessidade de bases, suportes, equipamentos); 
    4. Imagens e/ou links para vídeos das obras inscritas, contendo a identificação, respeitando a seguinte ordem: nome do artista, título do trabalho, ano de execução, material utilizado e dimensões; 
    5. Breve texto sobre o artista, com no máximo 500 caracteres (com espaço). 

    Processo e critério de seleção 

    • Respeito às especificações da seção inscrição deste edital; 
    • Adequação à proposta do eixo curatorial indicado na inscrição; 
    • Viabilidade de instalação e/ou execução da obra; 
    • Os participantes deste edital devem enviar imagens das obras com condições   mínimas para serem analisadas pela comissão; 
    • A eventual desclassificação de uma obra não significará necessariamente falta de qualidade; 
    • A lista dos inscritos pré-selecionados de ambas as mostras será divulgada nos canais de comunicação da associação Cafofo no dia 15/02/20; 
    • A seleção final será mediante uma apresentação presencial da obra em data a fixar. 

    Envio, realização e instalação dos trabalhos 

    Caso haja desrespeito aos prazos acordados, o artista será desclassificado. 

    • Despesas com produção, transporte (envio e devolução) são de responsabilidade do artista. 
    • Association Franco-brésilienne de Montpellier Cafofo não se responsabiliza por danos ou extravios dos trabalhos, devendo cada artista providenciar o seguro de seu trabalho caso julgue necessário. 
    • Após a seleção, o artista selecionado deverá assinar o termo de autorização de uso de imagem para ceder os direitos de divulgação de seus trabalhos à associação Cafofo.
    • O artista deverá estar presente para a instalação e desinstalação da exposição no local e horário acordado pela equipe do Cafofo. A exposição será instalada de acordo com o esquema desenvolvido pela arquiteta da equipe. 

    Disposições gerais 

    • Ao enviar o dossiê junto a ficha de inscrição, o proponente declara aceitar todas as normas estabelecidas neste regulamento. 
    • Os artistas selecionados se comprometem a realizar a montagem de sua exposição no prazo estipulado pela comissão de seleção. 
    • Os trabalhos selecionados estarão sujeitos ao espaço definido pela comissão de seleção. A comissão possui autonomia em relação à disposição das obras no espaço. 
    • A comissão de seleção se reserva ao direito de sugerir modificações pontuais que viabilizem a execução/exibição dos trabalhos. 
    • As decisões em quaisquer circunstâncias serão soberanas. 

    Cronograma 

    Inscrições: até 14/02/2020 

    Divulgação dos pré-selecionados: 15/02/2020 

    Data da apresentação presencial: 16 e 17/02/2020

    Mostra comemorativa dos 2 anos de Cafofo 

    Montagem: 19 e 20/02/2020

    Abertura: 21/02/2020 

    Período expositivo: 21 e 22/02/2020

    Desmontagem: 22 e 23/02/2020

    Local: Cafe L’oranger, 3 rue Ernest Michel, 34000 Montpellier

    Para baixar a ficha de inscrição, clique no botão download abaixo:

  • Notícias

    Oficina de canto brasileiro

    - by Clarisse Braga

    Estágio de canto brasileiro com Eduardo Lopes

    No final de semana de 2 e 3 de fevereiro, um grupo de 12 mulheres trabalharam os ritmos e repertórios polifônicos da música popular brasileira no estágio único de canto brasileiro com o mestre Eduardo Lopes.

    Eduardo é compositor, chefe de orquestra, instrumentista, cantor e harmonista com grandes nomes da música brasileira como Caetano Veloso, Paulo Moura, Jacques Morelenbaum, Joyce Moreno, entre outros. Residente de Bordeaux, ele é um convidado frequente para dar másterclasses, ateliês e projetos sobre a música do Brasil (Crest Jazz Vocal, Casa Musicale, Milan, Barcelone, Paris, Bruxelles).

    Após 12 horas de oficina, as participantes já demonstravam aproximação e apreço ao ritmos tradicionais brasileiros. O evento foi uma iniciativa de Carollina Ribeiro, musicista e tesoureira do Cafofo, com a organização da associação.

  • Notícias

    Cafofo Delas

    - by Clarisse Braga
    “Companheira me ajuda
    que eu não posso andar só.
    Sozinha eu ando bem,
    mas com você ando melhor”

    Uma rede criada por elas para elas: o Cafofo Delas soma ideias, busca soluções, compartilha experiências e estreita laços entre mulheres brasileiras que estão em Montpellier.

    Em parceria com a psicanalista Nicole Fobe, o encontro mensal vai debater temas como integração, perdas, legislação francesa, violência contra mulheres, mercado de trabalho, entre outros. Nicole é psicanalista com mestrado pela Universidade Paul Valéry, Nicole é formada em Direito pela USP, atua desde 2009 com aconselhamento jurídico e terapêutico de adultos e, desde 2012, com foco na experiência de brasileir@s no exterior.

    Na primeira edição, que aconteceu no dia 31 de janeiro, contamos com a orientação da Nicole para discutirmos sobre a adaptação no exterior. A psicanalista nos guiou na reflexão sobre o aspecto interno da adaptação ligado à questão da perda, principalmente a perda de uma imagem que tínhamos antes no Brasil (engenheira, administradora, mulher-brasileira, rata de academia, etc) e que somos forçadas a deixar para trás ao imigrar.

    Também tivemos uma demonstração de Dança Circular, uma maneira lúdica de compreender e celebrar a vida, feita por Esther de Castro, professora e sofróloga, especialista em Shakra Danse.

  • Notícias

    Intercâmbio de línguas

    - by Clarisse Braga

    Speed Meet Linguistique 

    Chegar à França sem falar um bonjour ou uma palavrinha que for em francês é pedir para complicar a vida. Isso todo mundo sabe. Mas vocês sabiam que há um interesse enorme em aprender a língua brasileira?

    Aqui, fala-se “brasileiro” para identificar a língua portuguesa do Brasil.

    Seja pela cultura, pela música ou pela beleza do país, cada dia mais, os franceses querem aprender o brasileiro e o Cafofo – Association Brésilienne de Montpellier decidiu unir o útil ao agradável: praticar as línguas francesa e brasileira incentivando o intercâmbio entre pessoas.

    Desta maneira, brasileiros e franceses de Montpellier que gostariam de melhorar o nível da língua trocaram suas experiências e vivências do aprendizado na primeira edição do Speed Meet Linguistique, realizado pelo Cafofo no Gazette Café, na última quinta-feira (17/11).

    O sucesso do evento se deve às pessoas que compareceram e participaram de atividades lúdicas e divertidas. Há quem diga que a melhor maneira de praticar uma língua é fazendo novas amizades e nós confirmamos!

  • Notícias

    Roda de Conversa

    - by Clarisse Braga

    Brasil em crise

    País da festa, das boas-vindas, da miscigenação; esta a imagem que a maioria dos franceses tem do Brasil. Mesmo assim, bastam algumas horas no país para enfrentar uma realidade de paradoxos: de um lado, milhares de pessoas vivem em situação de pobreza e, do outro, prédios de luxo protegem uma parcela de privilegiados. Entre confetes e serpentina, nós nos deparamos com um sistema de iniquidade e discriminações violentas. Porém, esta é apenas a imagem visível dos múltiplos do funcionamento da democracia brasileira.

    Para entender as razões que levaram o Brasil à crise, Cafofo organizou uma roda de conversa, no dia 20 de outubro, em Montpellier. Oferecer as ferramentas necessárias para compreender a situação política brasileira e identificar como esse gigante da América do Sul chegou a este ponto; estes foram os pontos debatidos no evento pela mesa que contou com a participação de Aderivaldo Ramos de Santana, doutor em História Contemporânea na Universidade Paris IV, encarregado do departamento de estudos lusófono e membro da associação pela pesquisa sobre o Brasil na Europa.

    Aderivaldo apresentou um panorama completo sobre a formação da população, história e território brasileiro. Também foram convidados Carollina Ribeiro, tesoureira do Cafofo e formadora em animação de debates cidadãos, que abordou o tema da estrutura social e econômica do Brasil, e o sociólogo Daniel Dias para falar sobre as oligarquias e a relação com a mídia. Para somar o debate, a especialista em economia e gestora de projetos Débora Carvalho apresentou sobre a corrupção enquanto fenômeno cultural. Concluindo o encontro, as novas polarizações políticas foram discutidas pela filósofa Juliana de Souza.

  • Artigo

    Opinião: A bagunça

    - by Clarisse Braga
    A doutora em sistemas costeiros e oceânicos Barbara Gimenez passou seis meses de 2017 fazendo seu doutorado sanduíche em Montpellier e compartilhou com o Cafofo sua experiência e os efeitos, tanto internos quanto externos, dessa aventura

    Alguns dias após o ano começar e refletindo sobre aquele que acabou de passar, a sensação que tenho é a de que 2017 foi um ano “bagunçado”. Pelo menos para a maioria das pessoas que participam ativamente da minha vida. E teve todo o tipo de bagunça, das mais pequenas às mais tumultuosas. Das baguncinhas boas àquelas que tiram nosso chão. Mas, a verdade é uma só: sempre dá para recomeçar e recolocar (ou colocar) tudo no lugar.

    Meu ano passado começou “arrumado”, mas corrido. Visto para tirar, passagens pra comprar, conseguir um lugar para morar, fazer as malas, papéis, burocracia. Uma Barbara sempre perfeccionista, metódica e desesperada deu conta de tudo bem antes do prazo. E de repente era abril… Parece que só atravessei uma sala de embarque e cheguei na França. 12h de vôo que mais pareceram 3h. A ficha tinha caído 0%. Quando as coisas são assim corridas, é normal não ter tempo de digerir direito, a gente “só vai” e vai, vai… Quando se dá conta, viveu uma porrada de coisas.

    Eu vivi em Montpellier por seis meses. E viver num lugar é muito diferente de simplesmente morar. Eu vivi o doutorado sanduiche, vivi a universidade, vivi a cidade, vivi as novas amizades, vivi as viagens, vivi o transporte público, os cheiros, os sabores, as músicas francesas. Lembro que quando pisei na minha moradia pela primeira vez, eu chorei. Pensei “não vou conseguir ser feliz morando nesse lugar, mas tudo bem, são somente seis meses”. No final das contas, embora eu achasse que ali eu só fosse morar, eu também vivi intensamente a minha moradia. Achava o máximo o simples fato de ter um studio numa cidade universitária, como nos filmes…

    A Barbara que foi achava que não podia viver muito tempo longe do aconchego do lar. A Barbara que voltou descobriu o valor imensurável da emancipação emocional. A Barbara que foi achava que seria impossível se virar sozinha com as dificuldades da língua. A Barbara que voltou sabe que dá para comprar um adaptador para internet a cabo mostrando uma foto e fazendo mímica (e que depois ainda vai se divertir muito com essa história). A Barbara que foi achou que não fazia amigos com facilidade. A Barbara que voltou sabe que onde tem gente na mesma situação e vibe que você, não vai ser difícil colecionar uma lista de colegas bacanas e aquelas – mais raras – amizades pra levar pra vida.

    A Barbara perfeccionista, metódica e desesperada do começo do ano, se perdeu toda fazendo as malas de volta, teve que pagar uma pequena fortuna de bagagem extra e deixar coisas para trás no aeroporto.  Culpou-se e se atormentou por isso. Mas essa Barbara terminou 2017 com a plena consciência de que, às vezes, as coisas saem do nosso controle e está tudo bem por isso também. Essa Barbara não precisa mais de tudo no seu exato lugar, sobretudo das coisas pequenas e triviais. Coisas que num piscar de olhos passam… Afinal, a vida é tão mais do que isso! A Barbara que foi tinha princípios, crenças e valores que são exatamente os mesmos que voltaram com ela. E essa Barbara é imensamente grata pela maioria das pessoas na sua vida conseguirem enxergar que, embora ela tenha mudado tanto, sua essência e caráter serão sempre os mesmos…

    A Barbara que foi tinha medo, muito medo. Descobriu que morar fora do país é para os fortes, mas a verdade é que qualquer um pode ser forte se quiser. Ah, essa Barbara só pode te dar um conselho: vá! Crie a sua oportunidade e vá. Leve excesso de coragem e traga excesso de experiência. E muito provavelmente a lista de coisas que você acha que vai aprender ou fazer não seja cumprida, mas o seu olhar de mundo jamais será o mesmo. E aí, você vai perceber o quanto é capaz de crescer e evoluir perante o medo e as dificuldades!

    Um 2018 cheio de descobertas “bagunçadas” pra todos nós.

  • Notícias

    Copa do Mundo

    - by Clarisse Braga

    Viver longe do Brasil já não é tarefa fácil  

    Bate a saudade da família e dos amigos, a comida e o clima fazem falta. Sem mencionar aquele clima de festa e alto astral que só existe no nosso país. Mas tudo isso nós enfrentamos de cabeça erguida.

    Agora, quer ver brasileiro expatriado sofrer? É só priva-lo da maior festa popular que acontece no país de quatro em quatro anos. Sim, a Copa do Mundo! E é claro que a estreia da seleção brasileira no mundial não ia passar despercebida em Montpellier.

    Foram mais de 80 brasileiros e franceses unidos, vibrando, gritando e se divertindo (e sofrendo) com a nossa seleção, nesta festa organizada pela equipe do Cafofo, no dia 17 de junho.

    Além da transmissão do jogo, a folia mais brazuca da cidade também contou com um espaço para crianças com direito a pintura de rosto, comidas e bebidas de primeira, além de música ao vivo nos intervalos da partida.

    E para animar ainda mais a galera, foi organizado um bolão gentilmente oferecida pela Usina de Festas com kit de salgados, pão de queijo e guaraná como prêmios. Será que alguém acertou o placar do jogo?

    Por um dia, encurtamos a distância, fortalecemos laços e um pedacinho de Montpellier virou Brasil.

  • Notícias

    Ateliê de pipas

    - by Clarisse Braga

    Nosso Cafofo – Association Brésilienne de Montpellier lançou seu primeiro evento aberto ao público no dia 22 de abril, no Parc Méric. O “Atelier piquenique: cerf-volant brésilien” foi uma ótima oportunidade de curtir um domingão em família e, de quebra, empinar pipas fabricadas na hora.

    Cerca de 40 brasileiros e franceses participaram do encontro que tinha também por objetivo apresentar a associação e estreitar os laços com a comunidade, deixando o dia ainda mais familiar.

    O ateliê animado pelos cafofeiros Roberto Bandeira, Marcus Barão e Daniel Ilê foi um sucesso não só entre a garotada, mas teve também muito marmanjo construindo pipas para depois brincar no gramado do parque.

    Logo ao lado, toalhas e almofadas no chão compunham o clima de piquenique onde cada um trouxe um prato de comida para compartilhar entre todos ali presentes.

    A proposta era trazer um pedacinho do Brasil para Montpellier e, naquele domingo, o Cafofo conseguiu.